Painel 3 - Século XIX, Império Brasileiro e transformações burguesas

Com a vinda da família real e sua corte de 60.000 pessoas para o Brasil, em 1808, e após a Independência em 1822, o pais começa a ter uma dimensão internacional. Inúmeras instituições foram criadas, assim como as primeiras fábricas, algo que era proibido durante o período colonial.

Tópico 1 - O Século XIX, o impacto da vinda de D. João para o Brasil.

Vila de São Sebastião do Rio de Janeiro_BDWebB
Vila de São Sebastião do Rio de Janeiro_BDWebB

 

Ao longo do século XIX, o Império Brasileiro se debaterá entre três questões políticas:

 

  1. A consolidação da Independência nos estados.

  2. As lutas políticas e de interesses econômicos entre a cidade e o campo.

  3. A questão da escravatura.

  4. A questão militar.

 

Na passagem do século XVIII para XIX, o capital comercial no mundo é substituído pelo capital industrial. No Brasil, o auge da fase de exploração de diamantes e de ouro havia passado e Minas se volta para a agricultura. O país enfrenta as incertezas da Independência.

 

Tópico 2 - A Situação Política no Primeiro Império.

Durante o período colonial, cidades como Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo eram os principais centros e capitais de suas províncias. O Brasil era agrário com fazendas de gado e de culturas agrícolas por região, especialmente cana de açúcar no Nordeste.

Selo comemorativo da Abertura dos Portos às Nações Amigas por D. João_BDWebB
Selo comemorativo da Abertura dos Portos às Nações Amigas por D. João_BDWebB

 

Abertura dos portos às nações amigas

O comércio durante a colônia estava voltado para alguns artigos que não necessitassem de industrialização como carne de charque, couros, açúcar e grãos.

  • A transferência da família real para o Brasil - o país ganha estruturas administrativas, jurídicas e de capital do Império Português em terras brasileiras, contrastando com a administração das províncias, ainda de feição colonial.

 

  • Abertura dos portos - A emancipação comercial se dá completamente com a abertura dos portos às nações amigas (1810) sendo os ingleses beneficiados com tarifas preferenciais (15%) ao invés de 24% dos demais países.

 

  • As primeiras indústrias - são abertas no país, especialmente no Rio de Janeiro, onde estava a sede da monarquia e o crescimento industrial do país começa a crescer pouco a pouco.

 

Vamos analisar as obras e edificações que permanecem no Rio de Janeiro, desde a vinda de D.João e sua corte para o Brasil - 1808 até 1821.

"No dia 26 de Fevereiro de 1821, Dom João VI é acordado com a noticia que tropas estavam se movimentando rumo ao teatro real, três batalhões fortemente armados, que tinham em sua maioria veteranos das lutas em Portugal contra Napoleão. Nesse momento chegava ao Rio de Janeiro os ecos da Revolução que ocorrera no Porto sete meses e dois dias antes. Sem forças até mesmo no Rio de Janeiro, Dom João não tinha outra saída se não Jurar a Constituição e voltar a Portugal."

Ler mais:

http://historica.com.br/colunas/o-retorno-de-d-joao-vi-a-portugal

 

Selo comemorativo da Independência do Brasil_BDWebB
Selo comemorativo da Independência do Brasil_BDWebB

Independência do Brasil

 

 

  • D Pedro herda uma situação financeira bastante séria, o tesouro raspado, o Banco do Brasil na iminência de falir, o Estado endividado

  • A situação militar extremamente tumultuada com tropas portuguesas nos estados da Bahia, Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso criando tumultos e coagindo brasileiros e ao príncipe regente.

 

Tópico 3 - O Primeiro Império e seu Modelo Econômico

Veremos que as províncias (correspondentes aos atuais estados) lutavam por vantagens que pudessem facilitar seu desenvolvimento, embora o ritmo de progresso fosse muito pequeno ainda.

D. Pedro I_BDWebB
D. Pedro I_BDWebB

Não havia tradição nem estrutura industrial no país. Grande parte do que se consumia de produtos industriais vinha do exterior. A grande nação industrial na época era a Inglaterra e o Brasil era um país importador e estava sob sua influência.

 

 

  • O modelo econômico - herdado por D.Pedro, proviera da Abertura dos Portos às Nações Amigas (1808), feita por D. João, ao chegar ao Brasil.

  • Modalidade: monopólios mantidos - Os produtos brasileiros passaram a ser exportados e negociados livremente, com exceção de monopólios portugueses como extração de pau-brasil, de sal, de salitre e de cartas de baralho e de gêneros estancados, nas duas primeiras décadas do século XIX.

  • Tarifa preferencial - Gêneros molhados importados – vinho, aguardente e azeite – tiveram taxas dobradas e gêneros secos passaram a pagar imposto de 24%, ficando a Inglaterra com tarifa preferencial de 15%, o que lhe dava facilidades de negociação em relação aos demais paises que viessem a comerciar estes produtos com o Brasil.

 

Negócios na área de comidas e bebidas, artesanato ou outros que não demandassem muita maquinaria iniciaram sua produção em escala cada vez maior, como é o caso da cerveja, por exemplo.

Quadro da Batalha de Trafalgar_Inglaterra x França_BDWebB
Quadro da Batalha de Trafalgar_Inglaterra x França_BDWebB
  • Renovação de tratado - Em 1827 foi assinado um tratado de livre-câmbio com a Inglaterra idêntico ao de 1810 e com uma duração de 15 anos, mantendo a situação preferencial para os ingleses.

  •  

    Mostra de fluxo de comércio exterior - Cerca de 1000 navios ingleses chegaram ao Brasil em 1825 e apenas 10 navios brasileiros chegaram à Inglaterra neste ano, o que demonstra o padrão de disparidades e o modelo importador brasileiro no primeiro império.
  • Abdicação de D. Pedro I - Em 7 de abril de 1831, D. Pedro abdica ao trono em favor de seu filho e volta a Portugal para lutar pela coroa, se tornando D. Pedro IV de Portugal após lutas com seu irmão D. Miguel.

 

"Guerra Civil Portuguesa, também conhecida como Guerras Liberais,Guerra Miguelista ou Guerra dos Dois Irmãos foi a guerra civil travada em Portugal entre liberais constitucionalistas e absolutistas sobre a sucessão real, que durou de 1828 a 1834. Em causa estava o respeito pelas regras de sucessão ao trono português face à decisão tomada pelas Cortes de 1828, que aclamaram D. Miguel I como rei de Portugal. As partes envolvidas foram o partido constitucionalista progressista liderado pela Rainha D.ª Maria II de Portugal com o apoio de seu pai, D. Pedro IV de Portugal, e o partido tradicionalista de D. Miguel I de Portugal e ainda o Reino Unido, a França, a Espanha e a Igreja Católica..."

Ler mais:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_Civil_Portuguesa

 

A Regência no Brasil.

Pedro, filho de D. Pedro I, ainda era menor quando o pai abdicou e voltou para Portugal. A partir deste momento, o país passa a “caminhar pelas próprias pernas”, buscando a organização interna e enfrentando seus problemas em várias áreas.

Regente Padre Feijó_BDWebB
Regente Padre Feijó_BDWebB

O governo da Regência encarou sérios problemas de cunho administrativo:

  • Funcionários vitalícios.

  • Situação lamentável da instrução pública e privada.

  • Reorganização do exército nacional.

  • Situação de saúde extremamente grave com inúmeras epidemias.

  •  

    Administração e justiça ineficientes.
  • Oposição de um congresso extremamente conservador, responsável pela manutenção do regime e do modelo econômico escravista e monocultor.

  • Inúmeras revoltas e sedições em todo o território nacional, inclusive com ameaça de separação de províncias como no Pará, mais próximo da Europa e com interesses econômicos diretos no mercado europeu.

  • A regência procurou unificar o país num clima muito conturbado, com uma população de 4,5 milhões de habitantes, metade escrava e metade livre.

  • O modelo monocultor e dependente das exportações de produtos primários – café – era o principal produto se manteve intocado.

 

Embarque de tropas para a província Cisplatina_BDWebB
Embarque de tropas para a província Cisplatina_BDWebB

Tópico 4 - O Segundo Império

Ao mesmo tempo em que a população crescia, o país ia aos poucos se desenvolvendo e este desenvolvimento impactava cada vez mais o meio ambiente, Já havia a percepção de desmatamento, especialmente na região litorânea, em função da exploração de pau-brasil, monocultura e criação de gado, tanto na colônia quanto no império.

D.Pedro II aos 14 anos_BDWebB
D.Pedro II aos 14 anos_BDWebB
  •  

    Maioridade de D. Pedro II: Promulgada pelo Senado em 1840.
  • Ciclo de reformas - A partir de 1850 se inicia um ciclo de reformas econômicas estruturais, a produção brasileira é dependente de monoculturas como café e cana de açúcar

  • População estimada - população estimada em 7.000.000 de habitantes, sendo 2 milhões de escravos.

 

Consulte nossa biblioteca da 7ª Série.

Clique na imagem e conheça a História do Comércio Exterior do Brasil.
Clique na imagem e conheça a História do Comércio Exterior do Brasil.
Passeio na colônia_Debret_BDWebB
Passeio na colônia_Debret_BDWebB

O tráfico de escravos

 

  • Proibido o tráfico de escravos em 1850, os capitais nele investidos a serão destinados a outras atividades produtivas, inclusive as primeiras indústrias ainda simples, como cordoarias, tabacarias, fabricação de sabão e outros gêneros de consumo interno .

  • Foram promulgadas a Lei do Ventre Livre e a Lei dos Sexagenários.

  • Em 1888 foi promulgada a Lei Áurea e, com isto, a monarquia perdeu toda a sustentabilidade que tinha entre as classes rurais e conservadoras, sendo proclamada a República em 15 de novembro de 1889

 

Brasão do Império_BDWebB
Brasão do Império_BDWebB

Decorrências do desenvolvimento do comércio exterior.

 

  •  

    Novos empreendimentos - Entre 1850 e 1864, o comércio exterior triplicou, companhias de navegação, de seguro e de colonização foram fundadas, estradas de ferro e de rodagem foram inauguradas ligando capitais brasileiras.
  • Expansão da cultura cafeeira - A cultura do café se expande pelo vale do Paraíba, sul de Minas e São Paulo, subindo a exportação de café de 2,6 milhões de libras esterlinas em 1840 para 6 milhões em 1860.

  • Aumento de imigrantes - expansão da imigração estrangeira após um período de reação de estados europeus. Com esta imigração, novos hábitos e tradições de trabalho foram implantados.

  • Ampliação do comércio - Companhias de navegação passaram a ligar o Brasil à Europa, foram criadas diversas usinas de açúcar, bancos com capitais ingleses, holandeses e franceses e foi fundada a primeira companhia telefônica em 1881.

 

Batalha de Avaí_Guerra do Paraguai
Batalha de Avaí_Guerra do Paraguai

Situação de crise no império

  •  

    A crise de 1864 causou falência de cinco bancos e de diversas companhias comerciais.

    Crises políticas e guerras com os países do Prata:

  1. Guerra contra Rosas (Argentina – 1850-52).

  2. Guerra contra o Uruguai ( 1863/64).

  3. Guerra do Paraguai (1865/70) onde foram gastos 600 mil contos de réis.

  4. Seguiu-se um período de relativo progresso em ter 1870 a 1876 e um novo período de crise se inicia em 1875, perdurando até 1886.

 

A monocultura cafeeira_BDWebB
A monocultura cafeeira_BDWebB

Modelo econômico

O modelo econômico ainda é agrário e monocultor, sendo o colapso do Segundo Império causado por um acúmulo de crises políticas nacionais e internacionais e econômicas em sua última década:

  • Questão Christie com a Inglaterra.

  • Questão Religiosa com a Igreja Católica.

  • Queda dos preços do café, açúcar e algodão no mercado internacional.

  • Questão Militar.

  • Abolição da Escravatura.

 

Estes são os fatos políticos marcantes do Segundo Império e que tiveram impacto no desenvolvimento do Brasil, na época.

 

Exercício-debate P3

 

Em sua opinião, que fato foi o mais marcante no inicio do século XIX e que contribuiu significativamente para o desenvolvimento do Brasil. Justifique sua resposta num texto de dez linhas e envie ao seu professor.

 

Entrar em Exercício-painel 3.

 

               Retornar à Área de Testes.